De torcedor para torcedor – Site não oficial

Manning e Luck têm mais em comum além do Colts

18/10/2013 - 18:30


Manning e Luck têm mais em comum além do Colts

Manning e Luck. O passado e o futuro do Indianapolis Colts. Duas histórias ligadas por um ponto em comum. Ou melhor, vários pontos, no pescoço de Peyton. Não fosse as cirurgias que transformaram Manning num ciborgue (só isso explica o nível de jogo dele depois delas), o Colts nunca teria terminado 2011 com 2 vitórias apenas, e Andrew Luck provavelmente estaria em Jacksonville.

E nós ainda estaríamos reféns de Tim Tebow. Felizmente, tudo se resolveu de forma agradável para todos. Mas o que poucos sabem é que a história de Manning e Luck é bem mais antiga. Os elos entre eles são bem mais velhos. Essa história não começou em 2011, mas em 1982.

Depois de perder o primeiro jogo na temporada de 82, o Houston Oilers (precursor do Tennessee Titans) fez uma troca com o New Orleans Saints, enviando a eles um lineman, Leon Gray, em troca de seu QB, Archie Manning. “Tá, mas o que isso tem a ver com o Luck?” Simples, pequeno gafanhoto. Oliver Luck havia sido draftado pelo time em 1978, fazendo com que os dois competissem, mas pelo posto de QB.

Manning e Luck, a dupla original

Manning pai (8) e Luck pai (10), lado a lado.

Archie nunca teve uma temporada vitoriosa na vida, e quando se viu livre dos péssimos Saints, foi para tentar salvar o barco dos Oilers, piores ainda.

Em seu primeiro ano de Oilers, Archie competiu pela posição com Gifford Nielsen e Oliver Luck. Não que houvesse muita competição. Como Manning era o veterano, ganhou o posto de titular, deixando a Luck a tarefa de carregar pranchetas, entregar água… E levar Cooper e Peyton para tomar sorvetes e comer no McDonald’s.

“Archie e eu jogamos juntos em 82 e 83. Éramos amigos, e continuamos a manter contato com o passar dos anos. Eu costumava pegar seus filhos no aeroporto e distraí-los. Como meu carro só tinha dois lugares, Cooper ia no banco do passageiro, e Peyton, no porta-malas.”, disse Luck. “Sempre admirei o que os filhos dele faziam jogando futebol americano, e ele sempre assistia ao que Andrew fazia, e fez o possível para que ele pudesse ir à Manning Passing Academy (Campo de treinamentos de Quarterbacks que Archie, Eli e Peyton mantêm todos os anos na offseason). Boas pessoas. Archie jogou por um time que perdeu sempre, mas eu acho que ele foi capaz de transcender aquilo com seu nível de jogo. Lembro-me de quando era garoto, de assisti-lo jogar no universitário, então ter jogado no mesmo time que ele foi muito especial. Sempre o admirei muito”.

E querem saber de outra história engraçada? Elway também se envolve nisso tudo. Nielsen perdeu três dos quatro jogos que jogou, Manning perdeu os cinco. Mas a única vitória do Oilers na temporada, que veio por causa de um erro de arbitragem, impediu o time de ser o pior da temporada, cedendo o posto para o Baltimore Colts. Em 1983, o Colts selecionou Elway, que pediu pra ser trocado, que teve seu pedido atendido pelo Broncos, que terminou com dois Super Bowls para nós.

Em 1983, ao invés de Elway, Manning era o starter. Após um início de temporada 0-3, ele foi substituído por Nielsen, que teve uma sequência 0-7. Com isso, o time não teve outra opção, que não colocar Oliver Luck como titular. Com 124 passes em 217 tentados, 1375 jardas, 8 TD e 13 interceptações, Luck conseguiu de alguma forma levar o time a duas vitórias nos últimos seis jogos. Manning foi trocado para o Vikings, onde jogou por uma temporada antes de se aposentar.

Para tornar a história ainda mais interessante, Luck jogou junto com Mike Munchak, guard que está no Hall da Fama e foi o responsável por tentar trazer Peyton Manning para o Tennesse Titans (o novo Oilers) quando ele foi dispensado pelo Colts. Que bom que o ciclo não se fechou ali.

Luck jogou apenas cinco anos na liga, tempo suficiente para ganhar uma pensão permanente da NFL e terminar sua faculdade de direito, porque era apenas um backup, e percebeu que o FA não era seu caminho.

Hoje, Manning e Luck (os pais), foram selecionados para fazerem parte do comitê de seleção do College Football Playoff, no qual eles serão, junto a outros 11 homens ligados ao futebol americano universitário, selecionar as equipes que participarão das semifinais do College Football e dos Bowls.

Mas esta semana, o foco de ambos não está no College. Está na NFL. Em Indianapolis. No Lucas Oil Stadium. A casa que o filho de Archie Manning construiu hoje tem um novo príncipe, o filho de Oliver Luck. Porque para ser rei em Indianapolis, Andrew terá que levar o time ao lugar mais alto, ao título do Super Bowl. E, para isso, ele vai ter que passar por Peyton, domingo, e nos playoffs.

Independentemente de todas as voltas que a vida dá, o destino uniu essas duas famílias. E seja qual for o resultado, quem ganhou com isso fomos nós, fãs de uma boa partida de futebol americano.

Que vença o melhor!
E que o melhor seja o Denver Broncos.

#GoBroncos!

Este post não necessariamente representa a opinião
do BroncosBrasil.com, mas unicamente de seu autor.

9 comentários

  • Excelente texto. Parabéns pra quem o escreveu, de verdade. Espero que o Luck faça sucesso em Indianápolis, mas não nesse domingo. #GoBroncos

    • Opa, obrigado. E também desejo ao Luck muitos anos de vice-campeonatos na AFC.

  • parabens pelo texto! está excelente, bela história.

  • Excelente texto. Parabéns a quem o escreveu, de verdade. Espero que o Luck tenha sucesso em Indianápolis, mas não nesse domingo. #GoBroncos

  • Muito bom texto parabens curiosidades dessas que nos faz pensar como as familias sao presentes na nfl daqui a pouco estamos vendo o filho do manning lançando bolas na nfl.

  • Ótimo texto e ótima pesquisa, tu descobriu coisa pra caramba sobre as duas famílias.

    #GOBRONCOS!

    • Obrigado. Buscamos sempre o máximo de informações para trazer aos nossos leitores.

Deixe seu comentário


− 1 = oito

Curta o BBr no Facebook

Aposta 10

Comentários +Recentes

Grupo do Facebook

Siga o BBr no Twitter